MAGUIDAL

Alfaiates / Martim Moniz, Intendente e Mouraria

  • © Lojas com História
  • © Lojas com História
  • © Lojas com História

É preciso saber de antemão que, num segundo andar da Rua da Palma, se encontra esta loja. A sinalização é escassa e é fácil passar ao lado de uma tradição familiar que inclui muitos nomes na família Almeida: não só na gestão da firma, mas como no estudo e aprendizagem a ela associado. A transmissão de conhecimento é um elemento basilar desta loja, seja entre os elementos de uma família, na abertura de uma escola, na criação de um método próprio ou na publicação de livros e revistas.

Em 1939 começou a publicar a revista «Vestir» e em 1948 lançou o livro «Método de Corte Sistema Maguidal», apresentado em edição de luxo no 1º Congresso Europeu de Mestres Alfaiates, em Paris. A alfaiataria aqui é muito mais do que um meio de subsistência. Apesar de já não funcionar como escola desde 2002, o Sistema Maguidal ainda é aplicado hoje na confecção das encomendas. Estas são sobretudo vestes feitas à medida, togas para advogados, becas para juízes, ou trajes para professores universitários.

Conteúdos: Lojas com História

Informações
  • Rua da Palma, 219 2º Esqº
    1100-391 Lisboa
  • Segunda a sexta-feira das 09:00 - 18:00
  • maguidal1934@gmail.com
  • 218 861 966
Meios de pagamento em loja

    Bairro

    Martim Moniz, Intendente e Mouraria

    É uma zona em transformação, alvo de uma profunda requalificação urbana nos últimos anos, mas que permanece fiel à sua essência. Desde a Praça do Martim Moniz ao Largo do Intendente e todo o bairro da Mouraria, as mudanças são bem evidentes na revitalização do espaço público e na qualidade da oferta, com o surgimento de novos locais de fruição, lojas e estabelecimentos de todo o tipo.

    Domingos & Nogueira

    Oficinas / Martim Moniz, Intendente e Mouraria

    • © Lojas com História
    • © Lojas com História
    • © Lojas com História

    «Ainda há vida de bairro», garante João Nine, um dos donos, junto com Rui Nine. Reconhece que se sente a quantidade de vizinhos que deixou o bairro nos últimos anos; mas há quem fique - e chegam outros. À entrada, junto à ardósia escrita em giz “Fundada em 1948”, faixas de cortiça com padrões de galos de Barcelos e eléctricos 28 com a palavra «Lisbon». Entende-se que isto serve de boas-vindas aos estrangeiros que, segundo João Nine, «gostam muito de entrar, e de olhar, e de vez em quando até levam qualquer coisa».

    A loja continua a ser uma referência pelo serviço especializado, tanto para profissionais de diversas áreas – sapateiros, correeiros, maleiros, encadernadores, estofadores, artesãos e designers – como pelo amador diletante. A oferta mais ampla é a de peles. O que se vê é em grande maioria pele de vaca, mas também existe cobra, raposa e coelho. Junta-se a isso todo o tipo de materiais e instrumentos para servir os mencionados ofícios, e a possibilidade de realização de pequenos trabalhos e restauros.

    Coteúdos: Lojas com História

    Informações
    Meios de pagamento em loja

      Bairro

      Martim Moniz, Intendente e Mouraria

      É uma zona em transformação, alvo de uma profunda requalificação urbana nos últimos anos, mas que permanece fiel à sua essência. Desde a Praça do Martim Moniz ao Largo do Intendente e todo o bairro da Mouraria, as mudanças são bem evidentes na revitalização do espaço público e na qualidade da oferta, com o surgimento de novos locais de fruição, lojas e estabelecimentos de todo o tipo.

      Armazém das Malhas

      Moda adulto /

      • © Lojas com História
      • © Lojas com História
      • © Lojas com História

      O Armazém das Malhas é um exemplo paradigmático de como uma loja se pode manter pertinente (incluindo os desafios da sustentabilidade no consumo) sem descurar o que vem de trás. A história começa em 1941 na Rua dos Fanqueiros, com a firma Miranda & Ferreira, para onde foi trabalhar Durbalino Marques, avô dos actuais gerentes, Tiago e Tomás Marques Luís, e ainda ele gerente. Dez anos depois veio instalar-se na Forno do Tijolo. Passou a conciliar a revenda com a venda ao público. Em 2014, os netos decidiram assumir a continuidade do negócio. Contaram com o saber-fazer do avô que lhes ensinou um pouco de tudo, do trabalho com o fio da malha à relação com o cliente e com o fornecedor.

      Os artigos são de produção nacional e refletem uma preocupação com a pegada ecológica, quer nos materiais selecionados, quer privilegiando uma relação de continuidade com os fornecedores, quer apostando em artigos de maior durabilidade e com distâncias menores de importação.

      Conteúdo: Lojas com História

      Informações
      Meios de pagamento em loja

        Bairro