Santos e Cais do Sodré

Palco de uma das mais notáveis transformações a que a cidade de Lisboa assistiu nos últimos anos, o eixo Cais do Sodré/Santos é hoje um dos locais mais trendy e irreverentes da capital, destino incontestado de turismo e lazer, com a vantagem de aliar o charme de uma zona histórica.

Palco de uma das mais notáveis transformações a que a cidade de Lisboa assistiu nos últimos anos, o eixo Cais do Sodré/Santos é hoje um dos locais mais trendy e irreverentes da capital, destino incontestado de turismo e lazer, com a vantagem de aliar o charme de uma zona histórica.

Numa área que se estende ao longo do rio Tejo, a recente renovação trouxe mais zonas verdes e um espaço urbano exemplarmente planeado com passeios mais largos e áreas pedonais, que muito rapidamente atraíram investidores que apostaram no desenvolvimento de edifícios residenciais, empreendedores que criaram aqui os seus negócios, e várias empresas, entre as quais a EDP, Farfetch e Second Home.

O Time Out Market, que nasceu da recuperação do histórico Mercado da Ribeira num conceito que agrega restaurantes, bares, lojas, um mercado de frescos e uma sala de espetáculos, foi o maior dinamizador do bairro, transformando toda esta zona num fenómeno de visitantes.

De igual forma, a transformação da Pensão Amor (que recriou neste edifício pombalino um bar com diversas atividades culturais) e de toda a Rua Cor de Rosa (que já foi eleita pelo New York Times como uma das 12 favoritas na Europa), animou as noites lisboetas e impulsionou a abertura de restaurantes de cozinha internacional, mas também espaços de gastronomia portuguesa tradicional e contemporânea, com ambientes que, muitas vezes, se abrem em amplas esplanadas à beira rio. O comércio de rua seguiu o exemplo e esta zona é hoje uma referência na capital, onde coexistem lojas modernas tradicionais.

A visita a esta área requer uma passagem pela Ribeira da Naus, que liga o Cais das Colunas, na Praça do Comércio, ao Cais do Sodré. Da recente reabilitação nasceu uma surpreendente “praia fluvial” com um amplo espaço ajardinado, quiosque e esplanada. Na sua proximidade, em plena Praça Duque da Terceira, impõe-se a Estação Ferroviária do Cais do Sodré em estilo Art Déco, classificada como Monumento de Interesse Público.

Na continuidade da Avenida 24 de Julho, encontra-se o bairro de Santos, reconhecido por abrigar em amplos espaços de arquitetura fabril algumas das melhores lojas e showroms de design em Portugal, onde marcam presença as grandes insígnias internacionais de design contemporâneo, designers portugueses e ateliers de arquitetura. Este aglomerado, a que se juntam algumas das mais destacadas escolas portuguesas no domínio criativo, levou à promoção do Santos Design District, dedicado a valorizar e divulgar este “cluster de design”.

Ainda em Santos, o Museu Nacional de Arte Antiga, instalado desde 1884 no Palácio Alvor, alberga a mais relevante coleção pública portuguesa de pintura, escultura, ourivesaria e artes decorativas europeias, de África e do Oriente. Os seus jardins pedem também uma visita e, mesmo ao lado, o miradouro da Rocha do Conde de Óbidos é o spot ideal para contemplar o Tejo.