Benfica e Sete Rios

Os bairros adjacentes de Sete Rios e Benfica começaram a crescer como área urbana durante o século XIX, tendo por base uma zona rural ocupada maioritariamente por quintas e terrenos agrícolas. Desde então, assumem o estatuto de serem duas das principais zonas residenciais de Lisboa, com grande concentração de serviços e atividades de todo o género, mas onde continuam a pontuar as quintas e palácios de outros tempos, agora com outros usos.

Os bairros adjacentes de Sete Rios e Benfica começaram a crescer como área urbana durante o século XIX, tendo por base uma zona rural ocupada maioritariamente por quintas e terrenos agrícolas. Desde então, assumem o estatuto de serem duas das principais zonas residenciais de Lisboa, com grande concentração de serviços e atividades de todo o género, mas onde continuam a pontuar as quintas e palácios de outros tempos, agora com outros usos.

O Jardim Zoológico de Lisboa, instalado desde 1904 no antigo parque do Palácio Farrobo, é um desses exemplos e marco incontestável na paisagem de Sete Rios, atraindo famílias de todo o país, que além da componente lúdica acedem igualmente a programas educativos no sentido de contribuir para a conservação das espécies e da biodiversidade.

A entrada para o Zoo faz-se pela Praça Marechal Humberto Delgado, originalmente designada “Sete Rios”, e que constitui o principal ponto de encontro e de arte urbana do bairro. Para assinalar a presença do Zoológico, os pilares do viaduto foram revestidos a azulejos que representam vários animais, uma obra de Augusto Cid com co-autoria de Mónica Cid. Nesta praça sobressai ainda a escultura de José Aurélio, que evoca a multiplicidade de direções que se cruzam neste lugar e a transcendência do caos urbano.
Uma alusão que lhe assenta perfeitamente, já que Sete Rios é o epicentro de uma encruzilhada, um lugar de partida e de chegada de transportes que levam passageiros para todas as partes do país. Aqui encontra-se um Terminal Rodoviário, Estação Ferroviária (em funcionamento desde 1888, quando foi inaugurada a ligação Santa Apolónia-Benfica) e Estação de Metro, além da confluência de algumas das principais redes viárias de Lisboa: Eixo Norte-Sul, Estrada de Benfica, Avenida Columbano Bordalo Pinheiro e Estrada das Laranjeiras.

Tipicamente residencial, Benfica alia a agitação das urbanizações de prédios à tranquilidade das áreas de vivendas. Neste campo, o Bairro Grandella, um bairro operário fundado no início do século XX e localizado na Estrada de Benfica, transporta-nos para outro tempo com o seu longo alinhamento de casas pequenas e graciosas com imponentes fachadas neoclássicas.

Num dos bairros mais antigos de Lisboa, a tradição continua a ser evidente no seu comércio de rua, no famoso Mercado de Benfica, nos restaurantes de gastronomia típica, que não só servem as necessidades da comunidade local como chamam muitos visitantes ao bairro. Contudo, a zona acolhe também o Centro Comercial Fonte Nova, bem como o maior shopping da Península Ibérica, o Colombo, ladeado de duas das maiores torres de escritórios da cidade.
Munida de vários equipamentos, entre os quais o proeminente Estádio do Benfica, esta área é também morada de várias escolas e universidades, espaços culturais e de lazer e inúmeras áreas verdes. Na verdade, o bairro é enquadrado pela Mata de São Domingos de Benfica, que se expande por 8 hectares e é o mais antigo espaço verde incluído no parque florestal de Monsanto. Disponibiliza restaurante e esplanada, parque infantil e de merendas, circuito de manutenção, parque aventura e piscina coberta.

 

Sabia que…
A origem do nome da antiga praça de “Sete Rios”, cuja utilização remonta ao século XVIII em documentos oficiais da cidade, nunca foi inteiramente determinada? Porém, o facto de este terreno se encontrar num vale e de ser local de passagem da ribeira de Alcântara leva a que seja considerada a hipótese de ali desaguarem outros pequenos cursos de água, possivelmente seis.