Avenidas Novas

Outrora “Porta” da entrada norte de Lisboa, o Bairro das Avenidas Novas cresceu e ganhou uma centralidade que o tornou numa das zonas habitacionais mais nobres da capital. Um Bairro com uma energia única, que combina história, modernidade e uma excelente qualidade de vida.

Outrora “Porta” da entrada norte de Lisboa, o Bairro das Avenidas Novas cresceu e ganhou uma centralidade que o tornou numa das zonas habitacionais mais nobres da capital. Um Bairro com uma energia única, que combina história, modernidade e uma excelente qualidade de vida.

Visto como um bairro elegante, as Avenidas Novas são conhecidas pelas ruas arborizadas, com fachadas e logradouros ajardinados, bem ao estilo da Arte Nova e Art Déco, que coabitam com apartamentos modernos e largas avenidas, criando uma atmosfera muito idêntica à que se vive nas principais artérias de outras cidades europeias como Madrid, Berlim ou Paris.

Longe da azáfama dos centros turísticos, mas a um passo de qualquer ponto da cidade, quem circula por estas avenidas encontra antigos palacetes reabilitados que foram acompanhando o crescimento deste bairro e um comércio ativo que conjuga centros comerciais com lojas de rua, conferindo-lhes ainda mais personalidade.

Com ruas predominantemente planas e imensas ciclovias convidativas para deslocações diárias ou pequenos passeios para relaxar, as Avenidas Novas são um Bairro onde apetece estar. Para quem pedalar não é opção, esta é também uma das zonas com maior acessibilidade e servida por uma boa rede de transportes públicos, onde se encontram várias rotas de autocarro e estações de metro. Além da fácil acessibilidade, as Avenidas Novas são um bairro com uma vida urbana muito prática e funcional, com uma envolvente muito rica em oferta escolar, assim como de hospitais e de serviços, o que o coloca no topo das preferências das famílias para viver.

Com muitos pontos de interesse para visitar, como o icónico Bairro Azul e a monumental Praça de Touros do Campo Pequeno, que agora acolhe também inúmeros eventos e espetáculos, este bairro é igualmente conhecido pelas zonas verdes que o rodeiam. Os jardins do Parque Eduardo VII, da Fundação Calouste Gulbenkian, do recentemente inaugurado Parque Ribeiro Telles, do Arco do Cego e do Campo Pequeno são apenas exemplos de espaços ao ar livre, que transmitem vida e dinamismo.

Uma atmosfera que é complementada por uma vasta oferta cultural, em que se destaca a Culturgest e a Fundação Calouste Gulbenkian, que nos brinda com o seu museu, orquestra e coro, biblioteca e salas de exposição, que se abrem num convite para desfrutar de um local único em que se respira arte e decorrem atividades educativas.